Como Licínio Lima viveu o II Encontro EFA – "Com a crise e para além dela"

Licínio C. Lima

Este é o primeiro dos testemunhos que pedimos a vários intervenientes que estiveram presentes no II Encontro EFA.

Licínio Lima esteve no painel de abertura enviou-nos este testemunho:

"A realização do II Encontro EFA, num contexto de crise e de desvalorização da educação de adultos, no quadro das atuais políticas públicas, representou uma afirmação de vitalidade e um ato de resistência contra o processo, em curso, da sua subordinação face a orientações vocacionalistas. 

Como se viu, através da apresentação de várias iniciativas em curso no terreno, o campo de projetos e de práticas de educação de adultos transcende muito a falta de cultura educacional, de imaginação e de responsabilidade política das autoridades, incapazes de compreender a sua centralidade, e especialmente em tempos de crise. O clima geral do Encontro foi, face ao passado, menos vibrante e menos voluntarista, sem ufanismos que sempre me pareceram injustificados, sem vanguardismos inconsequentes, e por isso mesmo revelou-se mais maduro, mais consciente das dificuldades vividas e, também, das possibilidades em aberto. Sujeita à indiferença política e à opção por velhas orientações que já provaram a sua incapacidade, a educação de adultos volta à condição de setor marginal, agora nem sequer conceptualmente reconhecida na retórica política. Não obstante aquela erosão, existe hoje um capital de saberes, de experiências e de vontades que não tem paralelo na nossa história e que nos dá motivos de esperança".


Licínio C. Lima.

Professor da Universidade do Minho